Make your own free website on Tripod.com

Dr. Mário Perrone
Acidentes na infância.
Home
Músicas
Favoritos
Artigos
Rondonópolis

Acidentes na infância.

 

Qual a idade em que ocorre a maior parte de acidentes na infância?

 

         Desde o dia em que nascemos até o fim da vida, estamos sujeitos a sofrer os mais variados tipos de acidentes.  A maior parte destes é evitável  com medidas de prevenção que muitas vêzes são muito simples. Embora o recém nascido também esteja sujeito a acidentes, a maior incidência ocorre a partir de 1 ano de idade, quando a criança já começa a andar e não tem a mínima noção do perigo, além de uma curiosidade aguçadíssima e uma intensa energia.

 

 

Quais os principais tipos de acidentes na infância?

 

         Mesmo parecendo estranho, a maior parte de acidentes ocorre no próprio domicílio da criança e os mais importantes são as intoxicações por medicamentos, os envenenamentos, os traumatismos, as queimaduras, os choques elétricos e até os afogamentos em casas com piscina.

 

 

Como evitar as intoxicações com medicamentos e venenos?

          Nesta pergunta devo destacar dois tipos de intoxicações: O primeiro seria a própria criança procurar a substância tóxica. O segundo seria quando o adulto, às vêzes com boa intenção, administra um medicamento incorretamente.

 

Para o primeiro caso recomendo que todas as substâncias tóxicas estejam totalmente fora do alcance das crianças. Deve-se também estar atento para o fato de que o pré-escolar tem uma capacidade incrível de atingir os lugares mais estranhos possíveis.

 

No segundo caso, é preciso que os adultos saibam que nunca se deve administrar um medicamento sem orientação médica. Como nem sempre isto é possível, deve-se conhecer minuciosamente todos os efeitos de qualquer medicamento que possa ser administrado à criança. Quero destacar uma intoxicação muito importante, principalmente em crianças menores de 2 anos. Trata-se da administração intempestiva de remédios para tosse. Estes medicamentos contêm substâncias extremamente tóxicas e seu benefício é, na maioria das vezes, duvidoso.

 

Quais as primeiras medidas que devem ser tomadas após a ingestão de um tóxico?

         Na maioria das vêzes provocar vômitos é importante. Em alguns casos esta medida é contra-indicada (por ex: derivados de petróleo, soda cáustica). O fundamental é que o paciente seja atendido com a maior urgência. Saber exatamente o que o intoxicado ingeriu, de preferência com a bula ou embalagem é de muita utilidade para quem vai atendê-lo.

         No Brasil existem vários centros de informação toxicológica que funcionam através de telefone 24hs por dia. Um dos melhores é o de São Paulo e como medida de grande utilidade informo seu telefone: (011) 275 53 11.   Antes de telefonar, recomenda-se que se informe todos os detalhes possíveis do acidente. Para quem acha que neste país nada funciona, este serviço é uma exceção.

 

 

Como evitar queimaduras?

         No caso de crianças pequenas, a maior parte das queimaduras ocorre na cozinha, portanto, fica fácil deduzir que a prevenção está em não deixar a criança brincar neste ambiente, sobretudo perto do fogão durante o preparo das refeições. Panelas devem também ter os seus cabos virados para dentro, visando a dificultar o acesso  e o entornemento de líquidos fervendo.

                 É muito importante, também, a prevenção dos acidentes com fogos de artifício e fogueiras durante as festas juninas. É preciso muito cuidado nesta época do ano, não só para as crianças, mas também para adultos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quais devem ser os cuidados imediatos nas queimaduras?

 

Quando houver Incêndio nas vestes, deve-se tentar extingui-lo com água fria.

 Não deixe a vítima correr.  

Abafe as chamas com uma toalha ou cobertor.

 

Nas queimaduras com água fervente, usar água fria corrente. Não romper as bolhas. Não use pastas ou pomadas.

 

Nas queimaduras com produtos químicos, lavar profundamente a área lesada com água corrente. Não use nenhuma outra substância neutralizante, pois as reações de neutralização liberam muito calor, piorando a situação das lesões.

 

 

Alguma mensagem para terminar?

         O velho dito popular sempre terá razão: É melhor prevenir do que remediar. Quem já viu uma criança intoxicada ou queimada, certamente concordará com isto!

 

 

 

 

 

 

                                                                                           Dr. Mário Luiz  T. Perrone

                                                                                                         Pediatra

                                                                                                     CRMMT 1909